sábado, 10 de dezembro de 2011

Nazaré Pereira em seu dia de aniversário



HOJE SE COMEMORA O ANIVERSÁRIO DE UMA DAS MAIS REPRESENTATIVAS ARTISTAS DO CENÁRIO BRASILEIRO DE GRANDE PRESTIGIO NA EUROPA. NAZARÉ PEREIRA. 10/12.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Entrevista com a cantora Nazaré Pereira para o Programa "O Brasil Tá Na Moda - Assis Ângelo. Rádio Trianon SP




Grande entrevista com a cantora brasileira Nazaré Pereira para o pesquisador Assis Ângelo na rádio Trianon, programa "O Brasil tá na moda". São Paulo. A repercussão nacional foi muito boa para a carreira da artista.

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Mensagem em homenagem ao dia do carimbó Agosto/2011



A CONTRIBUIÇÃO DE NAZARÉ PEREIRA PARA O CARIMBÓ

Quando se fala em carimbó, lembra-se de imediato das saias rodadas e coloridas das dançarinas, do Pinduca e dos grandes mestres. É um ritmo altamente contagiante que devido ao seu gingado vindo dos tambores faz qualquer um se embalar pela sonoridade da melodia, seja paraense, ou qualquer cidadão brasileiro e até europeu.

O carimbó já esteve na mídia varias vezes, na década de 80 ecoou nas vozes de Fafá de Belém, Eliana Pitman e Roberto Leal, entre outros, sem falar dos nossos artistas paraenses que incluem o ritmo nos seus repertórios e shows. Hoje, ele ressurge novamente ecoando na voz de Joelma da Banda Calypso, que se popularizou utilizando entre outros ritmos o carimbó como símbolo de regionalidade nas suas apresentações fortalecendo sua origem.

Entre os altos e baixos, o carimbo sempre esteve em alta na voz de Nazaré Pereira, que, já no seu primeiro trabalho incluiu o ritmo e permaneceu fiel até hoje, mesmo gravando outros estilos musicais como o forró, o xote entre outros.
Na época em que as gravadoras forçavam o artista a gravar isso ou aquilo, Nazaré sempre bateu o pé para gravar o que realmente lhe emocionava, defendeu arduamente gravar compositores brasileiros. Mesmo afirmando que não adere rótulos é no carimbo que ela se sente mais em casa, mesmo cantando fora do Brasil.
Entre as composições, Nazaré até escreveu uma letra de musica com estilo de carimbó em francês, o “Bonjour pra você”, que onde quer que se apresente, seja em Belém ou na Europa as pessoas são contagiadas pelo ritmo e saem dançando pelo salão.
Com a internacionalização do carimbo e devido a isso recebeu a "Medalha Chevalier des Arts et des Lettres", pelos serviços prestados à cultura brasileira na França.
Nazaré Pereira se tornou a representante deste ritmo na Europa que a consagrou ao longo dos seus 33 anos de carreira a brasileira das brasileiras e porque não dizer a “Mestra do carimbó”.

SALVE O CARIMBÓ NO SEU DIA, SALVE OS MESTRES E SALVE NAZARÉ PEREIRA.

Texto produzido pelo Assessor cultural ELSON DE BELÉM em 26 de Agosto de 2011 – São Paulo, em homenagem ao DIA MUNICIPAL DO CARIMBÓ.

                                                                                                                                                                    



sábado, 20 de agosto de 2011

Paulo Villas Boas sobre Nazaré Pereira


1000 LIVROS DE MARCOS QUINAN
CAPITAÇÃO DE SÓCIOS Fundação VILLAS-BÔAS
COMO CONHECI MARCOS QUINAN

                                                 
                       Nazaré Pereira                                                 Marcos Quinan
                    Embaixadora da FVB                                        Poeta - Artista Plástico
A nossa Embaixadora na França, artista Amazônica consagrada, Nazaré Pereira, aproveitando o máximo a sua estada em Belém, terra adotada de coração, vindo todo ano de Paris onde hoje é sua morada e tem sua vida profissional, Acreana de nascimento, “Lá do Xapuri” vem matar as saudades de “sua Mãe Morena Lá de Icoaraci” a qual é fonte de inspiração das letras e músicas que encantam qualquer pessoa, de qualquer idade, pois tem balanço, e espalha um halo  realmente de magia de uma atriz que incorpora suas interpretações.

É fácil falar de Nazaré Pereira, apesar de ser uma artista consagrada em Paris e no Brasil, na sua simplicidade, tudo é explicado, por onde anda, desenrolam tapetes para sua passagem. Rolando Boldrin, ficaria sentado com a mão no queixo, escutando horas por horas seus causos, sua trajetória, suas vitórias de uma mulher guerreira.

Como embaixadora dá-nos orgulho, não só pela sua vitoriosa vida profissional de cantora, compositora, em toda a Europa, mas pela grande figura humana que Nazaré Pereira É! Quando foi convidada a inserir-se em nossos projetos sensibilizou-se, não só pela nobreza da causa que norteia a Fundação VILLAS-BÔAS, mas por suas origens Amazônicas e por suas lembranças como Professora formada pelo Instituto de Educação do Pará - IEP, - Sou Piramutaba! Diz até hoje com orgulho. Como dizemos aqui no Brasil foi um gol de placa termos uma Embaixadora para alavancar os projetos ancoras e campanhas de Captação de Sócios para a Fundação VILLAS-BÔAS. E vejam dias antes na TV Senado o show da Nazaré Pereira passou por quatro dias consecutivos, e de pronto ressaltei, pois já era seu admirador: - Que tal convidarmos Nazaré Pereira, pois estamos falando de Amazônia, quem defende mais a Amazônia na Europa é ela Nazaré Pereira, e assim foi feito, seu contágio foi instantâneo. De Paris me liga: - Mano, que honra poder ser uma Embaixadora, e ainda sendo Fundação VILLAS-BÔAS, defendi meus conterrâneos só com a música, agora posso de fato fazer algo por esse povo tão abandonado por todos. 

Aqui chegando, logo foi me telefonando marcando encontros, pegando-me pelo braço e pedindo explicações de todo o processo de uma embaixadora e seus requisitos, pois estamos falando de socioambiental, E ai após alguns encontros e explicações exclamou: Há! É assim, é!  E fomos fazer alguns programas de Televisão – e alguns encontros com amigos que podem abraçar a causa.

- Marcos Quinam, é um grande amigo meu, homem letrado, poeta, músico, artista plástico e de teatro, animador cultural e empresário das artes, autor de várias letras de minhas canções, você precisa conhecê-lo, e assim foi feito. 

Marcos Quinam, uma pessoa finíssima, de uma receptividade fora do comum, abriu as portas de seu escritório e de seu apartamento, onde trocamos inúmeras idéias sobre o projeto Expedição VILLAS-BÔAS pelo Brasil, e o que mais lhe apaixonou. A biblioteca Kurumim. Mostrou seu blog.: Lado de Dentro (http://ladodedentrobrasil.blogspot.com), loja virtual dedicada à divulgação e comercialização da produção cultural brasileira, incluindo nossa cultura científica. De pronto doou para a Campanha de Captação de Sócios 1.000 livros de sua autoria para serem distribuídos aos sócios que fizerem pontuações conforme rege o regulamento.

Em seu apartamento em uma noite enluarada, nos recebeu para um novo papo e rolaram boas músicas cantadas e encantadas pela nossa embaixadora Nazaré Pereira acompanhada por nada menos compositor e cantor Eudes Fraga, outro gênio e de uma voz incomparável, onde mostrou canções lindíssimas e um projeto que me encantou, cultura para as crianças onde aprende com música. Iremos desdobrar em esforços para a viabilização da inclusão nos nossos projetos.

Só sei o seguinte: A Fundação ganhou muito conhecendo Marcos Quinam, e eu um grande amigo.

Paulo Celso VILLAS-BÔAS
Presidente da FVB e EVB

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

2012 - Centenário de LUIZ GONZAGA




COMEÇAM AS COMEMORAÇÕES DO CENTENÁRIO DE LUIZ GONZAGA - O REI DO BAIÃO


Livro antecipa a comemoração do centenário de Luiz Gonzaga

O Globo, 23/12/2010
Livro antecipa a comemoração do centenário de Luiz Gonzaga
Primeira tiragem, de três mil exemplares, é distribuída em bibliotecas e museus
Misto de luxuoso coffee table book com substanciosa obra de referência, após a leitura de “O rei e o baião” fica a pergunta: o que ainda fazer daqui a dois anos, quando Luiz Gonzaga completaria 100 anos?
Talvez uma edição comercial desse livro, já que, como explica o artista gráfico Bené Fonteles, organizador do volume, essa primeira tiragem, de três mil exemplares, não pode ser vendida. Ele está sendo distribuído gratuitamente pelo Ministério da Cultura por bibliotecas públicas, museus, músicos que tiveram relação com o sanfoneiro, familiares (como o neto, Daniel Gonzaga), pesquisadores e jornalistas especializados.
- Trabalhamos através dos últimos cinco anos nesse projeto, aprovado ainda durante a gestão de Gilberto Gil no ministério – explica Fonteles, responsável pela coordenação editorial, pela pesquisa, pela edição e pelo projeto gráfico do livro, bancado pela Fundação Athos Bulcão e pelo Fundo Nacional de Cultura do MinC. – A partir do ano que vem, se alguma editora se interessar, ele poderá ganhar uma edição comercial, mas não há nada encaminhado nesse sentido.
Pesquisa vai para museu
O livro foi lançado em 13 de dezembro – dia em que o sanfoneiro completaria 98 anos -, em Recife, onde, no dia 28 de dezembro, vai acontecer outro evento comemorativo. No que será um dos últimos compromissos oficiais de Luiz Inácio Lula da Silva como presidente, acontecerá a abertura oficial das obras do Cais do Sertão Luiz Gonzaga, um grande museu hi-tech sobre a cultura nordestina que ocupará dois armazéns nas margens do Rio Capibaribe, no Marco Zero da capital pernambucana.
- O livro é o fundamento desse museu, e todo seu material de pesquisa, incluindo a rica iconografia, com muitas fotos raras, será incorporado ao acervo do museu, que terá uma área reservada à obra de Gonzagão, e que estará pronto em 2012, a tempo de seu centenário – explica Fonteles, contando ainda que um CD com as imagens que o livro traz também está sendo distribuído para bibliotecas e museus Brasil afora.
“O rei e o baião” alterna textos analíticos sobre a obra e a figura de Luiz Gonzaga com ensaios artísticos, encomendados a xilogravuristas (João Pedro do Juazeiro, José Lourenço e Francorli e Carmen) e a um fotógrafo (Gustavo Moura, que retratou o sertão e seus habitantes).
- Além da análise da obra, quisemos mostrar como ele continua tão vivo no imaginário popular. Muito da ideia que temos da cultura nordestina se deve à música e também ao visual que ele idealizou – conta Fonteles, que, também autor de alguns dos textos, lembra que Luiz Gonzaga foi o criador do segundo grande ícone pop da cultura brasileira, logo após Carmen Miranda.
Se a Pequena Notável espalhou pelo planeta – graças a Hollywood – a imagem da baiana estilizada, que até hoje inspira imitações e caricaturas mundo afora, o visual cangaceiro de Gonzagão virou o padrão para muitos artistas nordestinos. Na abertura do livro, o trecho de uma entrevista do artista ao “Pasquim”, em 1972, relembra essa história: “Naquela época, eu percebia que todo cantor regional, todo cantor estrangeiro tinha uma característica própria. O gaúcho, aquela espora, bombacha, chapelão. O caipira tinha lá o seu chapéu de palha. O carioca tinha a famosa camisa listrada e o chapéu-coco. Os americanos, os cowboys. (…) Escrevi para a mamãe pedindo um chapéu de cangaceiro com toda urgência. No primeiro portador que teve, ela mandou o chapéu. Rapaz, quando eu botei o pé no palco da Rádio Nacional só faltaram me matar de raiva. “Como é que você, um mulato formidável, um artista fabuloso, se passa por um negócio desse? Reviver o cangaço, cangaceiros, facínoras, ladrões, saqueadores?” Eu disse: “Não se trata disso. É outra coisa.” Eu agora sou um cangaceiro musical. Aí fiquei com essa característica.”
Ainda entre os ensaístas do livro  estão Antônio Risério, Gilmar de Carvalho (“É, atualmente, o maior especialista na cultura nordestina, é o Câmara Cascudo contemporâneo”, avaliza Fonteles), Hermano Vianna, Sulamita Vieira e Elba Braga Ramalho – esta, quase homônima da cantora paraibana, é uma musicóloga que faz uma rigorosa análise técnica da obra do sanfoneiro, no capítulo “O repertório de Luiz Gonzaga”.
Rigorosos e esclarecedores textos, mas, até 13 de dezembro de 2012, mais sobre Luiz Gonzaga deve vir a público. Incluindo o filme em que o diretor Breno Silveira vem trabalhando, baseado no livro “Gonzaguinha e Gonzagão: uma história brasileira”, de Regina Echeverria, mas que também usa a pesquisa de “O rei e o baião” como fonte de referência.
LUIZ GONZAGA CANTA EM PARIS NA FRANÇA EM 1982


CARTAZ MOLDURADO DO ÚNICO SHOW DE SEU LUIZ EM PARIS FRANÇA, FOI A 17 DE MAIO DE 1982, NO TEATRO A BOBINO A CONVINTE DA CANTORA AMAZONENSE,NAZARÉ PEREIRA A EMBAIXATRÍZ DA MÚSICA NORDESTINA NA EUROPA. SEU LUIZ PASSOU DEZ DIAS EM PARIS. APROVEITOU PARA CONHECER A TORRE EIFFEL E APROVEITO PARA TIRAR FOTOS AO PÉ DA TORRE. PASSEOU NO PARQUE MARCHÉ AUX PUCES DI CLINGNANCOURT,VISITOU O SACRÉ COEUR,TOMOU CHOPP NA CÉLEBRE PRAÇA DA CONTRESCARPE, (quartel-general da colônia Brasileira ) DEU ENTREVISTAS A RADIOS E JORNAIS FRANCESES COMEU QUEIJOS TOMOU VINHOS FRANCES,PURA MORDOMIA.PARA UM NORDESTINO FORROZEIRO... CONVERSSA FIADA? NADA MAIS JUSTO A TODO MERECIMENTO PARA O NOSSO REI DO BAIÃO LUIZ GONZAGA, SEM NEHUMA SOMBRA DE DÚVIDAS.
Postado por ACERVO GONZAGÃO EM SERRINHA BAHIAàs 21:38



G.R.E.S. UNIDOS DA TIJUCA HOMENAGEIA GONZAGÃO NO CARNAVAL 2012



O DIA EM QUE TODA A REALEZA DESEMBARCOU NA AVENIDA PARA COROAR - O REI LUIZ DO SERTÃO

“Quero ser lembrado como o sanfoneiro que amou e cantou muito seu povo, o sertão;
que cantou as aves, os animais, os padres, os cangaceiros, os retirantes,
os valentes, os covardes, o amor.”

Luiz Gonzaga

Toca a sanfona porque a festa vai começar!
Abre e fecha esse fole que a comitiva vai chegar
A Avenida é a estrada que leva sertão adentro
E ninguém que aqui está esquecerá esse momento.

De lembrar que, em noite de estrela, nasceu um rei no sertão
Que virou majestade de tanto ensinar o baião
Andando e cantando a história de seu povo
Cem anos depois, ele vai ser coroado de novo.

Convidamos reis e rainhas pra mostrar que desde menino
Luiz Gonzaga, o Lua, já tinha de astro o destino
Mostrava o sorriso e a alegria, cantava e dava lição
Mas lá no fundo guardava saudade no coração.

Senhoras e senhores, o roteiro dessa viagem
Leva a terras distantes, onde um povo de coragem
Desafia a seca e a poeira, do barro ganha a vida
Esculpe a terra, tece a renda, de sol a sol nessa lida

No mercado, montam a banca e é bonito de se ver
E de tudo que há no mundo, nele tem para vender
Cores, cheiros, sabores da cultura nordestina
Lá se compra toda a sorte dessa vida Severina.

Segue o comboio real, vai cruzando o caminho
No lombo do burro, chega às terras de Vitalino
O mestre da escultura, que todo mundo copia
Bonecos que contam a vida, as coisas do dia a dia.

Mas pra conhecer o sertão, é preciso ter coragem
Atravessar a caatinga, seguir em frente a viagem
Pedir benção, rezar com fé, ser beato, ser romeiro
E reunir com toda a tropa, lá na Missa do Vaqueiro.

Senhores, rainhas e reis, o Rei do Baião anuncia
Que, depois de tanta reza, vai crescer a valentia
É pegar a beira do rio, é ser Lampião e Corisco
Pra conhecer a beleza do Vale do São Francisco.

Andar pela margem pra ver a vida que brota dos rios
O Velho Chico crescendo, com água que vem dos baixios
A cana, os frutos, o gado, o canto do passarinho
Cantar a saudade do rei, desse tempo de menino,

Toca a boiada, vaqueiro! Segue em guarda o cangaço
Que cada afluente que corre do Velho Chico é um braço
Desce pro sul até ver carrancas que trazem a sorte
A cara feia que espanta não deixa ter medo da morte.

“Simbora” que vem a noite, é hora de ver balão
Que as festas já começaram, tem “arraiá”, tem quentão
São José foi no plantio, na colheita é São João
A quadrilha já tá pronta, vai ter forró e baião.

E a sanfona anima o povo, todos vão se apresentar
Pra comitiva real, ao som do fole brincar
Bumba meu boi, maracatu, frevo, pagode e reisado
E tudo que precisar pra gente ficar animado.

Foi cantando pelo sertão que Gonzaga virou rei
De tanto cantarem junto, sua canção hoje é lei
Da poesia na praça, da valentia e coragem
Sua lição ganha as rádios, difunde sua mensagem.

Nas estações onde passa, vai contando sua vida
Espalha alegria e raça, hoje ganha a Avenida
E a Tijuca agora brinca e pra todo o mundo diz
Que a estrela de Gonzaga no céu descansa feliz.

Paulo Barros (carnavalesco)
Isabel Azevedo
Simone Martins
Ana Paula Trindade

Da redação do Blog da Folha de Exu

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Materia sobre a novela E NÓS, AONDE VAMOS?

Teledramaturgia

http://www.teledramaturgia.com.br/tele/enosaondeq.asp

RARIDADE - Veja onde tudo começou artisticamente na vida de Nazaré Pereira, novela onde participou na década de 70 ao lado de grandes nomes do teatro brasileiro. Nazaré ganhou o papel na novela depois que ganhou o concurso de atriz "a Grande chance" no Programa 
Flávio Cavalcante.




MARIA MAGDALENA ITURRIOZ Y PLACENCIA

Nascimento: 1920, Havana, Cuba

Falecimento: 27/06/2001, Miami, Florida, Estados Unidos
Escritora e novelista; anti-castrista, vai para Porto Rico após a Revolução Cubana (1959), trabalhando na TV TELEMUNDO; contratada pela COLGATE-PALMOLIVE, escreve novelas pela empresa patrocinadas; é enviada para trabalhar na Venezuela e depois para o Brasil (1964), onde inicia a produção de novelas na TV TUPI: escreve "Gutierritos, o Drama dos Humildes" (1964), "A Cor de sua Pele" (1965), "A Outra" (1965), etc; vai para a Rede GLOBO (1965), escrevendo novelas de sucesso como "Sheik de Agadir" (1966), "A Sombra de Rebeca" (1967), "Anastácia, a Mulher sem Destino" (1967), etc; sai da Rede GLOBO (1969) e escreve mais uma novela: "E Nós, Aonde Vamos?" (TV TUPI), indo morar em Miami, onde escreve novelas em livros e revistas.
(indicação de Richard Lopes Correia, 2010).


E NÓS...AONDE VAMOS ? TV TUPI - 1970


ACERVO DE JOSÉ HENRIQUE UESSLER
 FONTE : SÉTIMO CÉU E INTERVALO


CAPA DO DISCO COM A TRILHA SONORA DA NOVELA


NAZARÉ PEREIRA ATUANDO EM UMA DAS CENAS DA NOVELA



quinta-feira, 21 de julho de 2011

Clip do novo sucesso de Nazaré Pereira "Flores no salão"

video
              
                                Faixa do CD "Souvenirs" 
  lançado no Teatro Margarida Schivasappa - Centur - Belém Pará

                     Clip idealizado pelo Assessor Cultural Elson de Belém 
                               Julho/2011 - Piracicaba SP

Nazaré Pereira lança CD "Souvenirs" no Município de Ourém - Pará


Depois do sucesso de público ontem no Teatro do Centur,

Nazaré Pereira embarca para o Município de Ourém, para

mais um espetáculo, no Espaço "lindo luar". Dia 21 de Julho,

a partir das 21:00 h. Na ocasião cantará seu mais novo

sucesso "Flores no salão", faixa do novo CD "Souvenirs".

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Letra da música "Flores no salão", novo sucesso da cantora Nazaré Pereira

                   

Composição de Nazaré Pereira e Messias Lira para o novo CD "Souvenirs"
Lançamento: 20 de Julho de 2011. Teatro Margarida Schivasappa - Centur Belém PA 

terça-feira, 19 de julho de 2011

Nazaré Pereira na entrevista do Jornal "O Liberal"

                                                        Caderno Magazine de 19/07/2011

Cantora acreana radicada no Pará que mora na França, mostra amanhã um apanhado de sua carreira no show "Brejeira"

YÁSKARA CAVALCANTE
Da Redação

"Eu sou Nazaré/Lá da terra das mangueiras...". É com um refrão assim, regional e empolgante, que a cantora Nazaré Pereira - que nasceu no Acre, mas é praticamente uma paraense -, promete encantar o público de seu mais novo trabalho: "Brejeira", show que será apresentado amanhã (20), às 20h, no Teatro Margarida Schivasappa, do Centur, e que vai mostrar canções autorais e também compostas por músicos do Pará e da França, onde a sabiá mora.

Durante o show desta quarta-feira, Nazaré Pereira também vai lançar o CD "Souvenir", que traz 15 faixas, incluindo sucessos como "Xapuri do Amazonas", já conhecida dos fãs da cantora, "Terra Morena" e "Natureza". Esta última, carimbó romântico que, na verdade, é o hino da Fundação Villas-Boas, Organização Não Governamental de cunho socio-ambiental, presidida pelo ambientalista Paulo Villas-Boas, um dos grandes apoiadores do trabalho de Nazaré.

Em aproximadamente uma hora e quarenta minutos de show, a cantora se apresentará acompanhada dos músicos paraenses Mário Mousinho, na guitarra; Edgar Matos, nos teclados; Sagica, na bateria; Julinho, na percussão; Davi, na guitarra; e Neyzinho, no baixo.

No repertório, tomado de elementos tipicamente regionais, carimbó para ouvir e sentir, como "Carimbó Sentimental", definido por Nazaré como "dançante e lento" e que contará com a participação de Nego Nelson. "Essa música conta a minha trajetória e lembra a minha infância, em Xapuri", revela a cantora.

Para ver a matéria completa assine O Liberal Digital.



Clip Nazaré Pereira "Embaixadora da Amazônia na Europa"

video

Idealizado pelo Assessor Cultural Elson de Belém - Piracicaba SP

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Video de "chamada" do show "Brejeira"


video
                                             
                                              Idealizado pelo assessor cultural Elson de Belém

Nazaré Pereira lança CD em show no Schivasappa - Belém Pará


 Capa do CD "Souvenirs"

FLY do show "Brejeira"

Agenda da cantora

Contatos para shows e eventos

Nazaré Pereira está radiante em mais uma temporada em terras paraenses. São vários os motivos: shows, passeios e diversos eventos para o qual é convidada. Mas o principal motivo é o lançamento de uma coletânea de músicas de seu repertório, celebrando seus mais de 30 anos de trajetória musical.
O título´"Souvenirs", foi uma maneira de...
Nazaré presentar seus fãs, amigos e adimiradores em geral, com este trabalho que está sendo produzido com todo o carinho pelas mãos da própria cantora, seus amigos e colaboradores: Reginaldo Conceição e Adilson Alcântara.
"Souvenirs" foi tema do último show da cantora apresentado em 2010 e que foi sucesso de público, o qual dividiu com a platéia, as diversas passagens de sua vida, fazendo do espetáculo um verdadeiro colírio de lembranças e recordações, onde permeou as alegrias e tristesas, mas com uma pitada de humor que só a cantora possui.
O lançamento do CD "Souvenirs" será dia 20 de julho (quarta-feira) por ocasião do show "Brejeira" no Teatro Margarida Schivasappa do Centur.

Serviço: Show "Brejeira" e lançamento do CD "Souvenirs" da cantora Nazaré Pereira, dia 20 de Julho (Quarta-feira), as 20:00 h, no Teatro Margarida Schivasappa - Centur.
Ingressos antecipados na loja Na Figueredo, fone: 3224-8948
ou 8113-5048

Texto produzido por Elson de Belém, para o Blog "Bonde Cultural".

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Show "BREJEIRA"




“Selvagem”  - O poema




No emaranhar da selva amazônica,
Mas precisamente pelos lados do Acre,
Surgi dentre as matas frondosas,
Florestas e relvas,
A mais afinada cabocla,
Surgida da mata e da selva.



Sua pele morena,
Brejeira e faceira,
Põe a flor no cabelo,
Ensaia o carimbo e o siriá,
Levanta poeira com o povo a dançar.



De rouca voz,
O canto ecoa na proa.
Vem canoa vem,
Trazer pra perto de nós,
Nos braços do Guajará,
a cria da mãe morena,
que movimenta a saia,
no sacolejo do rio Guamá.



Movimentando os patuás e balangandãs,
O cheiro cheiroso,
Do aroma da fauna,
Que aflora a essência,
Do mundo exótico e misterioso,
Que existe nas lendas e crenças.



E voou, voou, voou,
Foi para longe,
Mas é no vai e vem
Dos igarapés de Belém,
Que vem matar sua sede,
Seja de barco, avião ou de trem.



Simboliza as pedreiras,
Riachos e cachoeiras,
Representa a mata,
E chora a desmata.
Ela é Nazaré Pereira,
A “selvagem” mulher cantadeira.



Escrito por Elson de Belém, as 13:28 h – Piracicaba SP
Por ocasião do show “Selvagem” de Nazaré Pereira em Belém.
www.wix.com/nazarepereira/nazarepereira


quinta-feira, 14 de abril de 2011

Materia jornalistica sobre Nazaré Pereira

O Liberal - 2008

http://www.orm.com.br/oliberal/interna/default.asp?modulo=247&codigo=352875

Oliberal -2009

http://www.orm.com.br/projetos/tvliberal/edp_receitas.asp?id=448565

http://www.portalorm.com.br/plantao/noticia/default.asp?id_noticia=431393

http://www.portalorm.com.br/plantao/comentar.asp?id_noticia=418280


O Liberal - 2010

http://www.orm.com.br/projetos/oliberal/interna/default.asp?modulo=248&codigo=483266

http://www.orm.com.br/oliberal/interna/default.asp?modulo=248&codigo=477036

http://www.orm.com.br/oliberal/interna/default.asp?modulo=248&codigo=477036

O Liberal -2011

http://www.libnet.com.br/oliberal/interna/default.asp?modulo=248&codigo=519064


Diário do Pará - 2009

http://diariodopara.diarioonline.com.br/impressao.php?idnot=46378

http://diariodopara.diarioonline.com.br/N-49416-NAZARE+PEREIRA+SOLTA+A+VOZ+EM+ICOARACI+++++.html

http://www.diariodopara.com.br/impressao.php?idnot=22732

http://www.diariodopara.com.br/impressao.php?idnot=50153

http://diariodopara.diarioonline.com.br/N-23491-SHOW+REUNE+PARAENSES+NA+FRANCA+.html

O Liberal - 2011

http://www.libnet.com.br/plantao/imprimir.asp?id_noticia=421853

Site Belem web -2010

http://www.belemweb.com.br/navegacao.asp?id=10052&pagina=15&sub_pagina=131

Site do Governo do Estado Pará - 2008

http://www.belem.pa.gov.br/movel/ver.noticia.php?id=5754

Site biografia Luiz Gonzaga -2007

http://www.forroemvinil.com/luiz-gonzaga-aboios-e-vaquejadas/

Site Big ben -2007

http://www.farmaciasbigben.com.br/viva_bem/materia.php?nIdCategoria=&nIdPost=142

Nazaré Pereira citada em livro de Schuma Schumaher e Érico Vital Brasil - 2007

http://books.google.com.br/books?id=L_761m9avk0C&pg=PA446&lpg=PA446&dq=Nazar%C3%A9+Pereira+cantora&source=bl&ots=42eIEN2aqW&sig=kFjPw_T-RkvBtotvg3RjhKfaJRY&hl=pt-BR&ei=uhCnTZXzDIjpgAfC5Z30BQ&sa=X&oi=book_result&ct=result&resnum=7&ved=0CD8Q6AEwBjiCAQ#v=onepage&q=Nazar%C3%A9%20Pereira%20cantora&f=false